O Belas Clube de Campo recebeu, na semana passada, o primeiro certificado pela norma de Resiliência às alterações climáticas e outros, atribuído pelo sistema LiderA, que orienta, avalia e certifica a sustentabilidade no edificado e outros ambientes construídos.

A certificação em resiliência atesta a capacidade dos ambientes construídos e comunidades de se ajustarem, reagirem e darem respostas aos riscos naturais (inundações, tempestades, vagas de calor), humanos, sociais e económicos (como criminalidade, ataques terroristas, falhas das infraestruturas, entre outros).

O Belas Clube de Campo obteve um elevado grau de resiliência, de classe A, numa avaliação em que foram considerados 20 parâmetros, entra os quais ondas de calor, abastecimento, precipitação intensa/cheias, inundações, abastecimento/qualidade da água e problemas de gestão, erosão hídrica do solo, risco de incêndio, biodiversidade, falhas das infraestruturas de energia, saneamento e resíduos, crime, entre outros.

Esta nova certificação integra-se na nova versão do LiderA, que entrou em vigor este ano de 2020. Como explicou à Edificios e Energia, Manuel Duarte Pinheiro, responsável pelo sistema, esta versão quatro é “mais holística, tem várias classes de desempenho mais alargadas e integra as alterações climáticas ou a resiliência. Tem, assim, áreas muito específicas e é já uma área programática, ou seja, tem um conjunto de critérios de tal maneira vastos que pode ser atribuída como uma certificação”. Assim, como explica o Belas Clube de Campo, a certificação em resiliência agora atribuída ao empreendimento refere, no seu relatório de avaliação, que “o Lisbon Green Valley apresenta aspectos distintivos em relação à prática comum, quer a nível de planeamento das infraestruturas e loteamento, quer a nível construtivo dos seus edifícios de habitação unifamiliar, coletiva e de serviços, tornando-o resiliente quando comparado com a referência”.

De recordar que o LiderA é um sistema voluntário que orienta e certifica ambientes na procura de sustentabilidade no edificado e outros ambientes construídos, permitindo identificar formas de melhorar o desempenho considerando a criação e valor. Criado no Instituto Superior Técnico, no ano 2000, ultrapassou as fronteiras da faculdade, tornando-se no único sistema de certificação português. Em 2010, distinguiu o Belas Clube de Campo pela primeira vez, com a classificação de A+ para a urbanização. Em 2017, atribuiu a classificação A++ ao projecto, construção e operação das moradias 306 e 307 do Lisbon Green Valley e em 2018 avaliou com A+ os apartamentos do lote 10.

Consulte o artigo completo aqui.