No dia 06 de Dezembro, o Teatro Thalia, em Lisboa, será palco para a entrega dos prémios André Jordan, que vai já na 5ª edição e que, este ano, registou um número recorde de participações.

Além de dar a conhecer os premiados desta edição, a cerimónia incluirá um debate com o tema habitação “Investimento institucional em arrendamento em Portugal. É desejável? É possível?” e contará com a presença de Augusto Mateus, Presidente do Júri do Prémio André Jordan, a deputada Helena Roseta e ainda a advogada Sofia Galvão.

 

Prémio André Jordan:

O Prémio André Jordan distingue os mais relevantes trabalhos académicos e científicos sobre economia das cidades, turismo e imobiliário, promovendo o contributo da academia para a reflexão sobre o mercado.

Já distinguiu estudos sobre investimento, sustentabilidade, reabilitação, arquitectura, sociologia e modelação matemática, com autores das mais relevantes universidades nacionais.

Na 5ª edição do Prémio André Jordan está em jogo um prémio com o valor pecuniário de 7.500€ para Teses de Doutoramento ou Artigos Científicos, bem como um prémio pecuniário de 1.000€ para dissertações de Mestrado. Por forma a aproximar os meios técnico, científico e profissional, os trabalhos premiados serão ainda publicados numa edição adaptada para distribuição aos profissionais do mercado Imobiliário.

 

Sobre André Jordan:

Cidadão Luso-brasileiro, tendo vivido no Brasil, Argentina, Estados Unidos e Portugal. A sua ligação ao imobiliário remonta aos anos 50. Desde então, distinguiu-se no mercado pela natureza inovadora dos projetos em que se envolveu, de que são exemplos a Quinta do Lago, Vilamoura e Belas Clube de Campo.

A excelência é a marca mais profunda do património que erigiu, legando projetos que são referências internacionais, pela conciliação do imobiliário com o turismo e o lazer, assim como em matéria de sustentabilidade. Desde sempre fomenta a profissionalização do sector.

André Jordan foi Vice-Chairman e é membro honorário do WTTC (World Travel and Tourism Council), assim como Fellow do duke of Edinburgh’s Award World Fellowship. É também um homem da cultura, tendo sido fundador do Festival de Música do Algarve, membro do Conselho do Museu de Arte Moderna do Rio de janeiro e Sócio Honorário do MASP (Museu de Arte de São Paulo).

Além de inúmeras distinções recebidas ao longo da vida, foi eleito Cidadão Carioca Honorário do Rio de Janeiro, tendo também sido agraciado, entre outras condecorações, com a Grã-Cruz da ordem do Mérito e os títulos de Grande oficial da ordem do Infante d. Henrique, em Portugal, e de Grande oficial da ordem do Rio Branco e ordem de Tamandaré, no Brasil.

Em 2011 foi alvo da atribuição do doutoramento Honoris Causa pelo ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa e pela Universidade do Algarve. Recentemente foi condecorado no Rio de Janeiro com a Medalha de Mérito Pedro Ernesto, a mais alta condecoração concedida pela Cidade do Rio de Janeiro.