Rui e Raquel Alves proprietários da Moradia número 100 do Belas Clube de Campo

 

Raquel,44 anos, Arquiteta, trabalha por conta própria a partir de casa. Rui, 44 anos, empresário, trabalha em Lisboa. 2 Filhos de 14 e 16 anos, estudam em Lisboa

 

1- Esta é a segunda casa que constroem no Belas Clube de Campo, a 100ª casa do empreendimento! Falem-nos um pouco deste vosso projeto.

Este é um projeto a dois, muito amadurecido. Quando comprámos este terreno o nosso objetivo não era construir, mas sim acautelarmos o nosso terreno contiguo, mas entretanto entusiasmamo-nos. Vendemos a nossa casa anterior e decidimos construir uma nova casa. Gostamos muito desta zona, e esta é uma rua muito bonita onde se sente a tranquilidade do campo.

A ideia foi construir uma casa mais sustentável aliada a um conceito um pouco diferente em relação à organização funcional. Tentámos que a casa mantivesse o prazer do conforto com um custo de manutenção equilibrado.
Assim sendo, procurámos adoptar boas práticas de sustentabilidade potenciando os meios passivos de climatização, no sentido de reduzir ao máximo os custos, sem sacrificar o conforto.

A casa está bem resguardada, protegida do Norte, aproveitando a orientação solar, potenciando o Sul nos compartimentos de eleição. É uma casa A+, com envidraçados térmicos protegidos por portadas e palas, com ventilação natural cruzada complementada pelas clarabóias, Isolamento térmico pelo exterior, piso radiante hidráulico, salamandras, entre outros… No fundo, tudo o que achámos que se devia aplicar para este fim, aplicou-se. Está-se muito bem aqui!

Esta casa tem também um conceito específico, pois os 2 pisos que a compreendem têm vivências diferentes e podem funcionar autonomamente. O piso superior é o piso destinado à vertente mais reservada da família, para o dia-a-dia, funciona como um grande apartamento, mas sem perder a relação com exterior, através das grandes varandas e dos pátios; tem sala, cozinha, quartos e casas de banho, tudo o que precisamos…

No piso inferior, funciona a zona social, independente, onde temos um grande salão com cozinha aberta, um quarto e as zonas complementares…
São 2 casas numa só, com vivências diferentes. Durante a semana usamos praticamente só o andar de cima e ao fim de semana, com mais tempo, disfrutamos do andar de baixo, com ligação muito directa ao exterior e à piscina. Podemos receber, amigos e familiares sem perder a privacidade e o sossego da nossa área privada no piso de cima.

Esta casa foi mais uma experiência, está a resultar! Gostamos de testar novos conceitos e projetos!

 

2- O que os motivou a vir para Belas. Onde moravam antes? O que mais aprecia neste local?

Não vemos outro local para morar se não o Belas Clube de Campo! O silêncio aqui é maravilhoso! Antes morávamos em Lisboa. Tenho pouco tempo para dormir, refere Rui, mas as 6 horas que durmo aqui não têm nada a ver com as horas que dormia em Lisboa. Permitem-me descansar! Por isso já não saímos daqui!
Ao entrarmos aqui parece que estamos de férias, tem a mística do campo – ouvem-se os sinos, os passarinhos, o barulho das folhas e sente-se o cheiro da terra!
Nunca quisemos ter uma casa de fim-de-semana, não queríamos ter 2 casas e o BCC responde a essa expectativa pois estamos muito perto do centro de Lisboa.

Quando entro na portaria parece que entro num mundo à parte, e o mundo fica lá fora! Parece que estou de férias! É um ambiente muito tranquilo e uma paz fantástica!

A segurança e vigilância é um outro fator muito relevante, conhecemos as pessoas e tratamo-las pelo nome, como se fossem família, é muito importante. Quando chego mais tarde e a minha família está em casa e estou perfeitamente descansado, refere Rui.
Uma casa com este terreno e estas características só mesmo neste local!
O Belas permite concretizar este tipo de projetos onde nos sentimos confortáveis. Tudo isto a 15 minutos do centro de Lisboa, de Cascais e das praias. Em muito pouco tempo, e sem trânsito, estamos onde queremos.

3- Enquanto arquiteta, como vê a arquitetura do Belas Clube de Campo?

O facto de existir uma diversidade arquitetónica é fantástico para os arquitetos, permite-nos dar asas à imaginação. A qualidade da arquitetura no Belas Clube de Campo é muito boa, sustentada por um aspeto muito relevante que tem a ver com uma boa matriz urbana, onde a densidade de construção não é elevada, permitindo que os jardins e a vegetação envolvam a construção. O verde é o elo condutor de tudo, assim como as pedras da região, que retiradas da escavação são aproveitadas para a modelação dos terrenos, interligando todo o conjunto independentemente do tipo de arquitetura. Tudo isto torna o espaço com um cariz especial e muito agradável!

 

4- E os vossos filhos, também ajudaram?

Os filhos também deram os seus contributos, eles gostam muito de morar no Belas Clube de Campo.
Mas quem não gosta?! Só mesmo quem ainda não experimentou…!